Música

Efeito Fade

05 janeiro 2018

Resenha #35 - Montanha da Lua

Título do Livro: Montanha da Lua
Autora: Mari Scotti
Coleção: Família Hallinson #1
Páginas: 281
Sinopse:
Há séculos uma verdade acompanha cada herdeiro do ducado de Bousquet: a Maldição dos Hallinson's.
Conta-se que a tragédia os acompanha, levando à morte em seu primeiro ano de matrimônio. Geração após geração, aprendem sua sina e a regra a seguir para possuir uma união frutífera e longa.
Octávio Hallinson Segundo sofre as consequências de não seguir estes ensinamentos. Viúvo, isolou-se da sociedade, fugindo da responsabilidade de casar-se novamente para providenciar um herdeiro para seu título.
Um homem marcado pela dor.
Mical Baudelaire Nashgan sempre foi uma mulher bem sucedida, enfrentando as ordens de sua tia e negando-se a seguir o protocolo que obrigava mulheres a procurar maridos apenas por posse de títulos e dinheiro e não por amor.
O posicionamento contraditório aos costumes afastou os candidatos, tornando-a uma das únicas solteironas que sua província conheceu. A mais bela dentre elas.
Uma tragédia a coloca frente aos perigos da floresta aos pés da Montanha da Lua e seu futuro torna-se incerto e assustador.

Olá literários e pessoas apaixonadas por livros em geral!!!
Tudo bem com vocês??

Bem, hoje eu trago mais uma resenha de um livro que desde de que bati o olho nele tenho uma vontade imensa de lê-lo e sim eu já estava de olho nesse livro a um bom tempo.

"Na estante encontrei alguns livros, volumes antigos e bem usados, pois em sua maioria estavam com folhas se desfazendo."

Montanha da Lua é o primeiro livro da Coleção da Família Hallinson, escrito pela autora Mari Scotti e um dos seus livros independentes. Apesar da capa dar a entender que será uma releitura do clássico conto infantil "Chapeuzinho Vermelho", a história em si que é narrada não tem nada de uma garota com um capuz vermelho e um lobo mal.

"A Montanha da Lua possuía este nome, pois em noites de lua cheia ela parecia repousar sobre seu topo. Sempre a admirei de longe e imaginei como seria ver a lua daqui. Talvez descobrisse..."

Mical é uma jovem donzela que já passou da idade de casar-se, porém ela não se importa muito com ser uma solteirona convicta e não se casar apenas com alguém por conveniência ou por causa de suas posses já que esta procura na verdade de casar-se por amor. Porém, isso não é fácil de explicar para sua tia Antonieta que não entende essa necessidade de sua sobrinha e sempre está lhe arranjando pretendentes, aos quais ela sempre dar uma maneira de renunciar a seus pedidos.

"De certo, antes solteirona do que infeliz."

O duque de Bousquet, Octávio Hallinson após a morte de sua esposa resolveu sumir e se isolar da sociedade sem deixar rastro nenhum sobre seu paradeiro, além disso ele parou de responder as suas obrigações em relação ao seu ducado, afinal ele se viu sendo pego pela maldição que cerca os homens de sua família e está respondendo as suas consequências. Porém, ele se ver intrigado com uma jovem moça que acaba salvando de morrer na floresta.

"Por que o proibido sempre retorna para atormentar aqueles que se empenham em resisti-lo?"

Mical não sabe quem é Octávio e nem que este é o duque de Bousquet, quando foste resgatada por este ela tinha desmaiado e por isso não se lembra do que lhe ocorreu, fazendo-se assim achar que o homenzarrão que está a cuidando e a tratando não é nada mais e nada menos que um sequestrador.

"Flagrei-me desejando que não fosse um sequestrador."

Porém, o que uns dias de convivência podem fazer com um homem estudado que acredita numa maldição de família e está se escondendo da sociedade e uma mulher que não conhece muito da vida mas que está a procura de amor??

"Ele virou o rosto na minha direção e com um olhar profundamente intenso, minuciou cada parte exposta da minha pele. Senti-me estranhamente ofegante, quente e ansiosa."

Mical é uma personagem que ao mesmo tempo em que ela é forte e determinada, ela também é super frágil principalmente quando o assunto é Octávio e tinha horas que se eu pudesse entrar no livro eu não sei se eu me zangaria com ela ou com Octávio.

"Deveria lembrar-me de que sou a mulher que enfrentou toda uma sociedade para permanecer solteira e não uma donzela em apuros que precisa de um príncipe encantado que a resgate!"

Octávio é um personagem que não sei muito o que pensar dele, pois como ele foi criado aprendendo que sua família carregava uma maldição não dar pra julgá-lo em acreditar que essa exista. Porém, não quer dizer que tive momentos que eu o xinguei por acreditar em algo que a como a própria Mical fala é uma trágica coincidência.

"Um homem estudado, conhecedor das letras, doutorado e que acreditava em uma maldição que certamente não passava de uma triste coincidência em sua família."

Cada capítulo de Montanha da Lua é narrado por um dos dois personagens que fazem parte da história e uma hora ou outra aparece uma capítulo narrado por um personagem secundário da história, apesar de eu só ter falado de Octávio e Mical alguns dos personagens secundários que aparece aqui tem um valor muito grande em relação a história e que só dar para saber o que é se você a conferir.

"Um sorriso brincou no canto dos lábios da serpente à minha frente, mas escondeu-o fitando-me amedrontada."

A escrita da autora Mari Scotti é muito gostosa de se ler e a história flui de uma forma que quando você ver já terminou o livro e só quer mais e mais. Eu admito que sou uma apaixonada por romances de época e apesar de no começo ter achado que Montanha da Lua iria se tratar de uma releitura de um conto de criança, me vi maravilhada com o que descobrir (apesar de algumas vezes me ver irritada com algumas coisas mas isso em relação aos personagens e algumas de suas atitudes) e talvez seja por isso que estava ansiando tanto em ler o segundo livro.

"Ele segurou a minha mão esquerda e beijou rapidamente em um gesto cortês." 

Então, se você é um apaixonado por livros de época como eu e quer uma história gostosa de se ler, Montanha da Lua é um livro mais que recomendado ;)

7 comentários :

  1. Oi, tudo bom?
    Já vi alguma coisa sobre esse livro, mas não busquei mais informações e sabia bem pouco da história até ler sua resenha. Nunca li nada da Mari, mas ela é muito elogiada o que só aumenta minha vontade. Esse livro parece ser bem instigante, apesar de eu não ler muito esse gênero.
    Adorei a resenha.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  2. Olá, eu amo romances de época e li esse da Mari faz algum tempo, lembro que achei a premissa e os personagens bem interessantes, os personagens tem algumas atitudes irritantes mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Ola,
    Que blog lindo e playlist mais que maravilhosaaaaa, tudo super armonioso. Sobre a resenha, TODOS que amam romances de época recomendam a Mari para iniciar nesse genero, e olha, não sou muito fã, mas acredito que atraves desta sua resenha eu acho que esse seria o livro, está de parabens.

    ResponderExcluir
  4. oi lindona, obrigada por essa resenha fofa! Amei saber que quis matar o Octávio e a Mical e que gostou da leitura! Espero que goste de A noiva devota também! Bjjjus, Mari

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha e de conhecer o livro. Maria Scott é uma autora que venho observando e gosto muito de sua escrita.

    ResponderExcluir
  6. Fico feliz que tenha gostado da obra. Eu não consegui me conectar com os personagens. Achei a ideia de um romance de época narrado em primeira pessoa bem legal, mas aí começou os múltiplos narradores e então até o mordomo já estava narrando, mas não foi isso que me fez não gostar da obra. Não gostei devido ao alto índice de indecisão de Octávio até chegar ao ápice de ele compará-la com a ex e a ex aparecer em sua própria casa e as outras cenas que sucederam. Enfim, amo romances de época mas agora fiquei bem cabreira com esse gênero escrito por autores nacionais.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  7. Isa, amei a sua resenha... E digo isso não somente pela forma como você detalhou a história, mas também porque eu também já li esse livro e sou apaixonada por ele. Então, nas partes em que disse que se irritou com certas atitudes do personagem, sei bem o que quer dizer kkkk

    A história que a Mari Scotti criou é realmente incrível. Não é somente uma leitura prazerosa, mas também emocionante.

    Beijos!!
    Abobrinha com Chocolate

    ResponderExcluir